Google+ Followers

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

AERONÁUTICA LANÇA com SUCESSO FOGUETE de TREINAMENTO






O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou na terça-feira (29/11) o lançamento do 31º Foguete de Treinamento. A atividade prevista no cronograma da Operação Rio Verde tem por objetivo testar todos os meios e preparar as equipes envolvidas na campanha de lançamento, iniciada no último dia 20 de novembro em Alcântara.
O lançamento ocorreu com sucesso às 14h02min, horário local, com duração total de voo de 2min43seg seguindo os parâmetros de trajetória previstos até a queda no Oceano Atlântico, em sua área de impacto a uma distância de 15 quilômetros do local de lançamento no CLA. O veículo atingiu uma altitude máxima (apogeu) de 31,4 km. 





“O veículo lançado hoje apresentou um excelente desempenho, seguindo conforme o perfil de trajetória previsto. Mais do que isso, a atividade foi de suma importância para treinarmos procedimentos e testar todos os equipamentos associados às operações e que serão empregados no lançamento do foguete VSB-30 com a carga-útil MICROG2 a partir da próxima semana”, ressaltou o Coronel Aviador Cláudio Olany Alencar de Oliveira.


Operação Rio Verde

Vídeo sobre a campanha de lançamento no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) do quarto foguete suborbital VSB-30 ocorrido no dia 07/12/2016 (uma quarta-feira)a partir deste centro da Força Aérea Brasileira (FAB) e do território brasileiro, como parte integrante das atividades da “Operação Rio Verde”, operação esta iniciada no dia 20 de novembro no CLA.




O foguete levou a bordo a carga útil MICROG2 com oito experimentos científicos e tecnológicos, visando assim atendendo à primeira chamada do 4º Anúncio de Oportunidades do Programa Microgravidade da Agência Espacial Brasileira (AEB). A campanha de lançamento, coordenada pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), teve por objetivo principal realizar o lançamento do veículo VSB-30 V11, o rastreio da carga útil MICROG2 com posterior resgate em alto mar, e utilizando o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) como estação remota.

O veículo foi lançado às 11h10 (horário local) tendo como duração total de voo 11min 04seg, porém infelizmente falhou em alcançar o apogeu esperado, mas a carga útil com os oito experimentos foi recuperada no litoral maranhense por helicópteros H-60 Black Hawk da FAB.





"Pode-se afirmar que vários objetivos da Operação Rio Verde foram plenamente atingidos. Entretanto, o veículo não proporcionou aos experimentos os esperados 6 minutos de voo em ambiente de microgravidade. A recuperação da carga útil no mar foi bem sucedida e, analisando os dados recebidos por telemedidas, poderemos avaliar o desempenho do veículo, que deverá constar do relatório final da operação, a ser elaborado nos próximos 30 dias", afirmou o Coronel Avandelino Santana Junior, Coordenador Geral da Operação desta operação.





Durante o voo os experimentos embarcados transmitiram dados via telemetria que possibilitarão aos pesquisadores responsáveis aprimorarem estudos como controle térmico de equipamentos eletrônicos tanto no espaço como em terra, utilização de sensores para determinação de atitude de sistemas espaciais, acompanhamento das mudanças de fase de amostras distintas de materiais no espaço, desenvolvimento de um GPS de aplicação espacial capaz de determinar a latitude, longitude e altitude da carga-útil durante todas as fases do voo de um foguete, qualificação de sistema de segurança que impede a ignição não programada de veículos espaciais e desenvolvimento de um sequenciador de eventos pirotécnicos e comutação de energia. 





A Operação Rio Verde reuniu em torno de 250 participantes de forma direta e indireta, entre militares, servidores do Comando da Aeronáutica (COMAER) e pesquisadores. Na mesma Operação foi lançado e rastreado um Foguete de Treinamento tendo por objetivo testar a operacionalidade, verificação e apronto dos meios de lançamento e de rastreio.


Operação Rio Verde (Primeira Etapa )



Operação Rio Verde (Segunda Etapa)



Operação Rio Verde 2 (Terceira Etapa)




Além do CLA, participaram da operação o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), organização militar responsável pelo desenvolvimento do veículo, atuando na gerência do projeto, o CLBI como estação remota de rastreio. Colaboraram ainda, o Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), o Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), a Marinha do Brasil (MB) e o Centro Espacial Alemão (DLR). Ainda, participaram com experimentos embarcados na carga útil MICROG2, cientistas e pesquisadores do IAE, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e da Universidade Estadual de Londrina (UEL).





Operação Rio Verde
O segundo lançamento dessa Operação levará ao espaço, por meio do veículo suborbital VSB-30 V11, oito experimentos de pesquisas da comunidade técnico-científica do País a bordo da carga-útil MICROG2, de forma a permitir a realização de ensaios em ambiente de microgravidade, o rastreio e o resgate no mar, a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e utilizando o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) como Estação Remota.